Invista em Fundos de Investimentos

Fundos de Investimento – O que é e porque investir?

Fundo de Investimento é um tipo de aplicação financeira que reúne recursos de um conjunto de investidores (cotistas). A união desses recursos permite investir em uma variada gama de ativos financeiros, em diferentes mercados. Em uma carteira de fundos de investimento é possível englobar: Títulos de Renda Fixa, Títulos Públicos, Commodities, Títulos Cambiais,  Ações, Derivativos, entre outros. Quanto mais diversificado é o fundo, menor será o seu risco.

O dinheiro aplicado em um Fundo de Investimento é convertido em cotas. Cada cotista possui um número de cotas proporcional ao valor total dos seus investimentos. O valor da cota tem atualização diária. O cálculo do saldo do cotista é feito diante da multiplicação do número de cotas adquiridas pelo valor da cota no dia em questão. O patrimônio do Fundo de Investimento é o resultado da soma de todos os recursos aplicados por diferentes investidores do fundo.

A administração e gestão do Fundo de Investimento é realizada por profissionais especializados e capacitados (gestores de fundos), e também, o Fundo de Investimento é regido por um regulamento. Esta é uma alternativa de investimento que apresenta inúmeras vantagens em relação a investir individualmente.

Vantagens de investir em fundos de investimentos

Investir em um Fundo possibilita o acesso a uma carteira diversificada de ativos com valor acessível. Existem várias opções disponíveis no mercado, sendo assim, o investidor pode escolher um fundo para cada objetivo estabelecido, considerando as expectativas de: rentabilidade, o tempo de aplicação desejado e o risco.

Gestores de Fundos de Investimento são pessoas solidamente capacitadas, certificadas e dedicadas para as melhores tomadas de decisões de investimento. Esses gestores possuem acesso a um vasto e consolidado volume de informações do mercado, condições indispensáveis para uma tomada de decisão assertiva.

A maioria dos Fundos de Investimento oferece boa liquidez. Isso significa que é possível o cotista resgatar suas cotas (parcial ou totalmente) com certa agilidade. É importante ressaltar que os prazos de aplicação e de resgates variam de acordo com cada Fundo.

Não existe a necessidade do cotista acompanhar a liquidez dos ativos do Fundo de Investimento. O gestor do fundo é encarregado dessa gestão, sendo responsável pela compra, venda e acompanhamento de cada ativo que compõe o Fundo.

O custo de corretagem pode ser significativamente menor ao aplicar com outros investidores. Isso acontece porque no Fundo de Investimento o custo de corretagem na aquisição de ações (por exemplo) são divididos entre todos os cotistas do fundo.

Todos os regulamentos dos Fundos de Investimento são públicos. Além disso,  os gestores têm a obrigação de publicar a carteira mensalmente no site da CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Essa publicação deve conter todos os ativos do Fundo. Todas as operações do fundo são custodiadas, registradas, fiscalizadas e auditadas periodicamente pela CVM.

Uma gama de serviços é disponibilizada para o cotista do fundo, como por exemplo: demonstrativos mensais, reinvestimento de juros e dividendos, planos de saque, planos de valorização e relatórios anuais.

No fundo de investimento, existe a possibilidade de investir em ativos de difícil acesso pelo investidor individual, por exemplo, operações estruturadas, que visam a proteção do seu investimento e a potencialização do retorno.

Icon Image

Conheça os fundos disponíveis

Fique por dentro das opções disponíveis nos diferentes mercados de Fundos de Investimento.

Icon Image

Compare antes de investir

Compare, visualize gráficos de performance e escolha o que é melhor para você antes de investir.

Entenda quem são os profissionais envolvidos em fundos de investimentos

Administrador

Responsável pela constituição e pelo funcionamento do Fundo,  pelas exigências jurídicas que devem ser cumpridas e pela prestação das informações exigidas pela CVM. O administrador atua para defender os interesses dos cotistas.

Custodiante

Responsável pela “guarda” dos ativos do Fundo de Investimento. O custodiante é responsável pelos dados e pelo envio das informações do fundo aos gestores e administradores. Responde pelo registro, pela liquidação e pelo exercício das obrigações e direitos dos ativos que compõem o fundo.

Auditor independente

Responsável pela realização de uma auditoria independente. O auditor avalia a escrituração contábil do fundo, para proporcionar maior credibilidade nas informações divulgadas e também para garantir maior segurança aos cotistas.

Gestor

Responsável pelo acompanhamento do mercado e pela definição da estratégia de montagem da carteira de ativos que compõe o fundo. A carteira deve ser administrada conforme os objetivos e conforme a política de investimento do regulamento do fundo. O gestor do fundo deve definir quais os melhores momentos de compra e venda dos ativos financeiros, da seleção de papéis e da alocação. O objetivo do gestor é o maior lucro possível.

 

Distribuidor

Responsável pela venda das cotas do fundo. Seu papel pode ser desempenhado pelo próprio administrador do fundo ou por terceiros contratados por ele. 

Taxas

Taxa de Administração

A taxa de administração é um percentual sobre patrimônio do Fundo. Se trata de um valor anual (pago pelos cotistas), que corresponde à prestação de serviço do gestor, do administrador e das demais instituições presentes na operacionalização do dia a dia do fundo. O valor da taxa pode variar tanto de produto para produto quanto de instituição para instituição . Para saber a taxa do fundo, deve-se consultar o prospecto, documento que pode ser encontrado no site do distribuidor do fundo.

Para os Fundos de Investimento que podem comprar cotas de outros fundos, existe a denominada taxa máxima de administração. Isso ocorre porque se investir em outro fundo, o fundo primário também deve arcar com uma taxa de administração. O cliente final deve ter a ciência da taxa de administração máxima. Esta taxa pode ser cobrada pelo fundo onde é feita aplicação.

Taxa de Performance

É uma taxa de periodicidade semestral cobrada do cotista (deve estar prevista no regulamento do fundo) se a rentabilidade do Fundo superar a rentabilidade de algum indicador de referência (benchmark). A taxa de performance serve como forma de remunerar uma boa gestão. Diante disso, a taxa de performance é cobrada do cotista somente quando a rentabilidade do Fundo superar a rentabilidade do seu indicador de referência (benchmark). A cobrança da taxa é realizada apenas sobre a rentabilidade que ultrapassar o benchmark, se a rentabilidade for positiva. Se a performance do Fundo for negativa, não ocorrerá cobrança da taxa de performance, mesmo se a taxa exceder o benchmark.

Exemplo: suponha que um Fundo apresente uma taxa de performance de 20% sobre o que exceder a variação do CDI. Isso quer dizer que se a rentabilidade do fundo ultrapassar essa marca, você deverá ficar com 80% do excedente: • Rendimento do Fundo no ano = 15% • Variação do CDI no ano = 10% • Excedente que vai incidir a performance = 5% • Taxa de performance/remuneração extra que será paga = 1%

Taxa de Saída

Corresponde à taxa paga no momento do resgate. É uma taxa calculada sobre o montante do total resgatado, caso o cotista quiser vender as suas cotas com um prazo de liquidação inferior ao prazo de resgate padrão do fundo. A taxa de saída é prevista no regulamento de cada fundo, quando aplicável.

Tributação

Classificação para efeitos de IR

Conforme a determinação da Secretaria da Receita Federal, os Fundos de Investimento podem ser classificados em três categorias para fins do Imposto de Renda. A incidência do imposto vai depender do período em que cada aplicação permanecer no Fundo, conforme abaixo:

Fundos de Ações

Fundos de Ações possuem alíquota única de IR na fonte, qualquer seja o prazo em que o investidor permaneça com os recursos investidos no fundo. O imposto é cobrado no momento do resgate sobre o rendimento bruto do Fundo.

Fundos de Tributação de Curto Prazo

Para os fins de tributação de impostos, são considerados Fundos de Investimento de Curto Prazo, fundos cuja carteira de títulos possui prazo inferior, médio ou igual a 365 dias. Esses fundos de curto prazo estão sujeitos à incidência de IR na fonte.

Fundos de Tributação de Longo Prazo

Para fins de tributação de impostos, são considerados Fundos de Longo Prazo aqueles cuja carteira de títulos possui prazo médio, igual ou superior a 365 dias. Esses fundos estão sujeitos à incidência de IR na fonte. Nesse fundo, se o cotista resgatar cotas por um período superior a 2 anos, ele deverá pagar 15% de I.R sobre o rendimento do Fundo no período em questão.

FUNDOS DE AÇÕES
PRAZO DA APLICAÇÃOALÍQUOTA DE IR
Independente do prazo da aplicação15%
FUNDOS DE CURTO PRAZO
PRAZO DA APLICAÇÃOALÍQUOTA DE IR
Até 180 dias22,5%
Acima de 180 dias20%
FUNDOS DE LONGO PRAZO
PRAZO DA APLICAÇÃOALÍQUOTA DE IR
Até 180 dias22,5%
De 181 a 360 dias20%
De 361 a 720 dias17,5%
Acima de 720 dias15%

Come Cotas

O sistema de recolhimento de impostos do fundo de investimento é denominado “come-cotas” e é recolhido no último dia útil dos meses de maio e novembro. Nesse recolhimento é baseada na menor alíquota de cada tipo de Fundo: 20% nos Fundos de Curto Prazo e 15% nos Fundos de Longo Prazo.

Diante disso, a cada 6 meses, os Fundos deduzem automaticamente o Imposto de Renda dos cotistas. A dedução considera o rendimento durante esse período. A cobrança do imposto é processada em quantidade de cotas, ou seja, calcula-se o número de cotas proporcional ao valor referente do IR devido. Após, se deduz essa proporção de cotas do imposto ao número do total de cotas que o cliente possui no fundo.

Além do come-cotas, no momento do resgate da aplicação do investidor (se assim for o caso) será realizado o recolhimento do IR de acordo com a alíquota final devida, valor que é calculado conforme o prazo de permanência desse investimento no fundo. 

Importante: Não há incidência de “come-cotas” em Fundos de Ações.

IOF

O IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) é o imposto que incide sobre o rendimento nos resgates feitos em um período inferior a 30 dias. O percentual do IOF pode variar entre 96% e 0%. O valor depende do número de dias decorridos da aplicação e também incide sobre o rendimento do investimento.

Dias corridos após a aplicação12345678910
IOF (%)96939086838076737066
Dias corridos após a aplicação11121314151617181920
IOF (%)63605653504643403633
Dias corridos após a aplicação21222324252627282930
IOF (%)30262320161310630

Atenção: No caso dos Fundos com carência, caso o resgate ocorra antes do prazo, estes sofrem a incidência de IOF, que tende a diminuir os ganhos obtidos pela aplicação.

Ainda está com dúvidas?

Destaques toda semana no seu e-mail?