5 dicas para mudar de carreira e ser um assessor de investimentos

5 dicas para mudar de carreira e ser um assessor de investimentos

O trabalho do assessor de investimentos (ou agente autônomo de investimentos) é fundamental na vida de muitos investidores. Afinal, este profissional os auxilia e os ajuda a saber mais sobre os ativos financeiros disponíveis no mercado e a organizar as informações para fazer boas escolhas de investimento.

O serviço de assessoria promove, portanto, de forma simples e gratuita, diversos benefícios àqueles que investem ou desejam iniciar seus aportes. E a população tem percebido cada vez mais a importância deste profissional quando o assunto é investir e acumular patrimônio.

Por isso, a possibilidade de ser assessor de investimentos tem chamado atenção e se apresentado como alternativa atrativa para profissionais que desejam mudar de profissão. Você já pensou nisso?

Se a ideia de se tornar um assessor de investimentos já passou pela sua cabeça, este artigo é para você. Continue a leitura e confira 5 dicas preciosas para entrar na profissão!

O que é a assessoria de investimentos?

Antes das dicas, vamos começar falando um pouco mais sobre o trabalho do assessor de investimentos. Ele é um profissional qualificado — que deve provar seus conhecimentos e se regulamentar na Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A assessoria é prestada por pessoas especializadas em investimentos. Ou seja, que tenham conhecimento e experiência aprofundada nos ativos financeiros disponíveis no mercado. Só é possível trabalhar na área após ser aprovado em um teste e receber a certificação.

O trabalho do assessor consiste em ter contato frequente com os investidores e passar informações acerca dos investimentos que interessam a eles. O profissional ajuda apresentando as alternativas do mercado e explicando o funcionamento de cada uma delas sempre que necessário.

Algumas pessoas comparam a figura do assessor de investimentos com a do gerente do banco. Porém, eles não realizam funções muito semelhantes. Na verdade, o gerente é funcionário da instituição bancária e se ocupa com diversos assuntos.

Por exemplo, os gerentes atuam no dia a dia junto aos clientes resolvendo questões acerca da conta corrente, crédito (como empréstimos e financiamentos) e, em menor escala, dos investimentos oferecidos pelo banco. Por outro lado, o assessor é totalmente focado nos investimentos – e, claro, em seus clientes.

Além disso, a assessoria traz ao profissional a liberdade de ter uma carteira própria de clientes. E, por estar vinculado a uma corretora de valores, pode trazer ao investidor um extenso leque de alternativas de investimento – muito superior àquele encontrado em bancos.

Outra diferença fundamental é que os gerentes de banco costumam ter metas a ser batidas por determinados produtos vendidos. Sendo assim, eles oferecem aos clientes, prioritariamente, os produtos que fazem parte desse pacote de metas. Enquanto o assessor tem liberdade para oferecer os produtos mais adequados para cada investidor. Por esse motivo, muitos gerentes de banco estão buscando transição de carreira para ser assessor de investimentos.

5 dicas para ser um assessor de investimentos

Se você atua como gerente de banco ou tem outra profissão — esteja dentro do mercado financeiro ou não — é possível realizar a mudança de carreira e se tornar assessor. Se este é o seu objetivo, veja a seguir 5 dicas essenciais para alcançar esta meta profissional:

1. Obter a certificação

Como você viu, os assessores de investimentos só podem trabalhar na área depois de obter uma certificação. Ela é concedida após aprovação em uma prova aplicada pela Ancord — Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias.

Após passar na prova e receber a certificação de assessor de investimentos, você precisará, ainda, ter cadastro na CVM. Também é necessário se manter em dia com as taxas que a instituição cobra dos profissionais cadastrados.

Para receber sua certificação, é preciso ter conhecimento sobre diversos aspectos ligados aos investimentos, ao mercado financeiro e ao sistema financeiro como um todo. Se você pretende ser assessor de investimentos, pode ser interessante pesquisar acerca dos assuntos envolvidos na prova e se preparar para o teste.

2. Ficar atento ao crescimento da área

A assessoria de investimentos é uma área que vem crescendo muito nos últimos anos. Com o aumento da educação financeira e o avanço do interesse por se tornar investidor, cada vez mais brasileiros têm procurado o serviço.

Então, por um lado, as oportunidades para pessoas que queiram mudar de carreira e ser agente autônomo de investimentos estão aumentando. Por outro lado, é preciso ficar atento ao crescimento para aproveitar as chances de impulsionar seus resultados.

Novos investimentos estão sempre surgindo e os clientes precisam de informações atualizadas. Logo, o serviço de assessoria deve ser prestado por profissionais que estejam constantemente estudando e buscando maneiras de agregar mais valor aos seus clientes.

3. Ter intensidade comercial

Apesar de boa parte da prática do assessor de investimentos estar ligada ao atendimento de clientes para prestar informações sobre o mercado financeiro, ela não se resume a isso. A assessoria também envolve prospectar novos investidores.

Assim, é preciso ter intensidade comercial. Ou seja, saber apresentar o serviço e atrair clientes para a assessoria. Ter conhecimentos de marketing e de vendas também é muito útil para conquistar cada vez mais pessoas.

Nesse ponto, evidencia-se mais uma diferença em relação aos gerentes de banco. Geralmente, a função no banco costuma ser mais distante dos clientes, com uma postura passiva. De outro lado, o assessor tem uma relação mais próxima e com iniciativa.

4. Desenvolver visão de empreendedor

O assessor de investimentos não é apenas um profissional de uma empresa ou um trabalhador autônomo. Na verdade, quando ele se liga a um escritório passa a fazer parte do negócio — pois o nome dele deve constar no contrato social.

Assim, cada assessor é sócio do escritório, tendo uma participação ativa na empresa. Logo, vale a pena investir na sua visão de empreendedor se o seu desejo é mudar de carreira. É preciso trabalhar para o crescimento da assessoria.

O ideal é ver o escritório autônomo como um negócio que depende da sua participação para crescer e ser próspero. Com isso, não só o seu trabalho melhora, como a assessoria também é impulsionada a partir das suas contribuições.

5. Prestar bom atendimento

Por fim, quem pretende ser assessor de investimentos deve gostar do mercado financeiro e prezar pelo bom atendimento aos clientes. A combinação das duas características certamente fará com que você conquiste quem tiver contato com o seu trabalho.

Ser simpático, oferecer um bom atendimento e demonstrar conhecimentos essenciais sobre os investimentos são requisitos para colher bons resultados ao trabalhar como assessor. Seus clientes terão interesse em continuar sendo acompanhados por você.

Como mostramos, o assessor tem uma relação de proximidade com as pessoas que ele atende. Não basta apresentar os investimentos inicialmente, é preciso acompanhar a evolução do investidor e seguir ajudando ele em suas dúvidas e escolhas.

Não temos dúvidas de que mudar de carreira para ser um assessor de investimentos ou um agente autônomo de investimentos (AAI) pode trazer inúmeras vantagens na sua vida. Siga as dicas deste post e saiba como conquistar seu espaço nesse setor que vem crescendo muito nos últimos anos!

E então, você quer aproveitar as oportunidades para mudar de profissão e obter sucesso? Entre em contato com a Zahl Investimentos. Somos uma das maiores assessorias do país!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *