Ágio e deságio: como estes conceitos afetam seus investimentos?

Ágio e deságio: como estes conceitos afetam seus investimentos?

Sempre vale a pena reforçar que a informação é indispensável para quem deseja fazer boas escolhas ao investir. É fundamental, por exemplo, conhecer os investimentos e analisar suas principais características para evitar frustrações e surpresas desagradáveis.

Afinal, investir envolve riscos e não estar consciente deles pode fazer com que você enfrente problemas e prejuízos. Nesse sentido, para muitas decisões no mercado financeiro será preciso conhecer os conceitos de ágio e deságio.

Que tal saber mais sobre eles? Confira este post completo sobre o assunto e tire todas as suas dúvidas!

O que é ágio e deságio?

Os dois termos surgiram na área de contabilidade e são muito utilizados para especificar, por exemplo, o custo de aquisição em uma empresa. No caso, eles têm relação com as diferenças – para mais ou para menos – entre o custo de aquisição e o valor contábil de um investimento.

Mas como se aplicam os conceitos de ágio e deságio no que se refere a investidores do mercado financeiro? Saiba a seguir!

Ágio

O ágio diz respeito a apresentar um valor maior em relação àquele no qual determinado título foi comprado por você. Ou seja, o título teve um custo de aquisição específico e, passado um determinado período de tempo, está valendo mais. A diferença em relação aos valores é o ágio.

O conceito também pode ser compreendido quando pensamos em um parcelamento ou dívida. Imagine a situação de alguém que compra um item e parcela o pagamento em 12 prestações com juros. O valor final será maior do que o custo de aquisição. Então, houve ágio.

Da mesma forma, um empréstimo ou financiamento acontece com ágio, pois a pessoa paga o valor de aquisição de um bem e paga também os juros embutidos no procedimento bancário. Logo, o custo efetivo da operação fica maior.

Deságio

O deságio vai no caminho oposto ao ágio. Isto é, representa um título ou investimento que foi adquirido por determinado preço e depois passa a valer menos. A diferença para baixo em relação ao preço que você pagou é chamada de deságio.

Para quem adquire um título com deságio, por outro lado, esta situação pode representar uma oportunidade. Afinal, o deságio seria uma espécie de desconto – uma vez que o investimento, na verdade, vale mais do que está custando no momento. Então, seria possível obter uma vantagem já no momento do aporte.

Por outro lado, quem precisa se desfazer de um título que está com deságio provavelmente se vê em uma situação desfavorável, pois receberá menos do que pagou por ele em relação ao custo de aquisição.

Como os conceitos afetam os títulos públicos?

É comum que o tema ágio e deságio surja quando se fala em títulos públicos. Cada título se comporta de maneira específica quanto ao ágio e deságio, a depender das suas características. E, por isso, é importante conhecê-las.

Confira a seguir os efeitos do ágio e deságio sobre os títulos do Tesouro:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é uma das aplicações mais populares da renda fixa. O rendimento dele acompanha 100% da taxa Selic e ocorre todos os dias úteis.

Além da correção dos títulos pela taxa, o preço de compra ou venda deles – especialmente no mercado secundário – depende também da oferta e da procura. E, por influência de ágio ou deságio, valores de compra ou venda de títulos podem ser diferentes.

Contudo, geralmente estes valores não apresentam grandes divergências entre si. É possível observar a relação entre o preço atual do título e seu valor nominal pela taxa registrada ao lado do título. Ele pode ser negociado a um par (pelo mesmo valor) ou apresentar ágio ou deságio.

Tesouro IPCA

Se o Tesouro Selic apresenta maior estabilidade e diferenças mais leves entre o valor nominal e o de compra e venda, o mesmo não pode ser dito sobre o Tesouro IPCA. O título está atrelado ao principal índice de inflação do país (IPCA), acrescida a uma taxa pré-fixada.

Suas características fazem com que ele fique exposto à marcação a mercado. A depender das movimentações do cenário econômico e da oferta e demanda por títulos, o seu investimento pode apresentar níveis mais significativos de ágio ou deságio.

Por exemplo, imagine que você investiu no Tesouro IPCA em um momento no qual as taxas pré-fixadas eram mais atrativas do que as praticadas hoje. E que você deseja se desfazer do título antes do vencimento. Neste caso, é possível que haja um ágio a seu favor nesta negociação.

O contrário também pode ocorrer. Se o seu título foi adquirido em um momento no qual as taxas eram mais baixas, possivelmente você terá um deságio ao vendê-lo hoje, antes do vencimento.

Tesouro pré-fixado

Os títulos da plataforma Tesouro Direto que apresentam rentabilidade pré-fixada seguem movimentações semelhantes em relação ao Tesouro IPCA – graças à marcação de mercado. Afinal, as taxas oferecidas pelo governo em novos títulos mudam de acordo com oscilações da economia.

Por exemplo: se a taxa de juros diminuiu, é possível oferecer taxas pré-fixadas mais baixas, mas se elas aumentam, também é preciso aumentar a rentabilidade dos investimentos para atrair investidores. Diante das oscilações, títulos comprados antes podem entrar em ágio ou deságio.

Ao falar sobre os títulos públicos, é importante destacar que a lógica de rentabilidade se mantém a combinada quando você continua com seu investimento até a data estabelecida. O lucro acima do esperado causado pelo ágio ou o prejuízo devido ao deságio só valem em caso de venda antecipada.

Como ágio e deságio influenciam outros investimentos?

A influência do ágio e do deságio também acontece em outros investimentos. Em algumas outras aplicações da renda fixa privada, as oscilações são semelhantes ao que ocorre com os títulos públicos — com algumas diferenças em relação ao mercado.

Já na renda variável, é de se esperar que as oscilações sejam mais significativas. O objetivo de muitos investidores é encontrar ações ou cotas de fundos imobiliários, por exemplo, sendo negociadas com deságio. Ou seja, por preços menores do que realmente valem.

Isso indicaria oportunidade, já que seria um investimento realizado com desconto.  De forma oposta, é possível encontrar ativos sendo negociados com ágio na bolsa. Nesses casos, o investidor pagaria um preço acima do valor real do ativo.

Percebeu como é importante conhecer os termos ágio e deságio? Afinal, eles têm uma ligação bastante forte com os investimentos em renda fixa e variável – e, muitas vezes, com os objetivos do próprio investidor.

Por isso, vale a pena considerar as particularidades dos investimentos em relação ao ágio e deságio para fazer boas escolhas em relação à sua carteira!

Quer saber ainda mais sobre o mercado financeiro? Então veja 7 tipos de investimentos que você deveria conhecer!

E para entrar em contato conosco, clique aqui e informe seus dados.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *