Conheça 6 Investimentos atrelados ao dólar e euro

Conheça 6 Investimentos atrelados ao dólar e euro

Muitas pessoas acompanham diariamente as variações do dólar e do euro. Afinal, elas são as moedas mais fortes do mundo. Com isso, trazem impactos para a economia e despertam o interesse de diversos investidores de países diferentes.

Vale lembrar que o dólar americano está atrelado à principal economia do mundo, desempenhando um papel importante também em outros locais. Já o euro, criado para atender à União Europeia, ocupa a segunda posição nas moedas mais importantes. 

Diante disso, os investimentos atrelados às moedas podem ser opções atrativas, além de cooperar com a diversificação da carteira. Quer saber mais? Conheça 6 maneiras de investir em dólar e euro! 

Por que ter investimentos atrelados ao dólar e euro?

Antes de conhecer os investimentos, vale a pena saber por que investir com lastro em moedas internacionais. Uma das principais dicas de investimento é montar uma carteira diversificada, certo?

As alternativas do mercado oferecem diferentes níveis de risco, o que pode trazer perdas para o investidor. Porém, existem formas de reduzir a exposição a eles e melhorar o potencial da sua carteira.

A diversificação consiste em ter investimentos de classes e tipos variados, expostos a diferentes riscos. Assim, o comportamento apresentado diante das oscilações do mercado não será o mesmo. 

Nesse cenário, as quedas sofridas por um ativo podem ser compensadas pelos resultados de outro. A consequência é o maior equilíbrio na carteira por meio do manejo de riscos. Porém, qual é o papel dos investimentos em dólar e euro nessa estratégia?

A força das moedas na economia internacional, especialmente no caso do dólar, faz com que elas apresentem vantagem em relação ao real. Além disso, a correlação é baixa em relação aos resultados da bolsa de valores brasileira (B3).

Quando a bolsa está em baixa, é esperado que a cotação do dólar e do euro suba. Por isso, o investidor que tenha alocado parte de seu portfólio em investimentos no exterior pode se proteger diante de cenários de crise. Inclusive, tendo valorização atrelada às variações das moedas.

6 Investimentos que podem ser atrelados ao dólar ou ao euro

Você já aprendeu sobre os benefícios que esse tipo de investimento pode trazer, mas sabe como aplicar essa estratégia? Nesse momento, é normal que surjam dúvidas sobre como investir em euro ou em dólar no Brasil.

Não é preciso comprar diretamente as moedas para isso. Uma forma mais atrativa é contando com investimentos que sejam atrelados a elas.

Confira 6 alternativas que você pode considerar!

1. Fundos internacionais

Os fundos de investimentos são modalidades coletivas em que você adquire cotas, enquanto um gestor profissional administra os recursos. Eles podem ser de diferentes tipos e estratégias, sendo que alguns são atrelados a outros países.

Nesse caso, você pode investir em fundos que se expõem a ativos estrangeiros e moedas. É possível encontrar essa alternativa, por exemplo, entre fundos multimercados e de ações. Nesse caso, parte dos ativos pode ser atrelada a bolsas estrangeiras. 

Também existem alternativas de fundos internacionais — que focam, de fato, em outros países. Neles, o percentual de exposição costuma ser maior. Contudo, por envolver maiores riscos, muitos só estão abertos para profissionais certificados do mercado ou investidores de maior capital.

2. Fundos cambiais

Os fundos cambiais investem com maior foco em moedas e derivativos que acompanham as movimentações do câmbio. Assim, os resultados obtidos pelo investidor dependem da performance da moeda no mercado internacional. 

Um diferencial é que eles costumam ser fundos abertos, então permitem a entrada de novos investidores ou o resgate das cotas a qualquer momento. Portanto, podem oferecer alta liquidez.

É importante saber que os fundos cambiais não alocam recursos em determinados investimentos que geram rentabilidade (como as ações). Em vez disso, o foco está nas moedas. Logo, podem ser usados para hedge (proteção) contra as oscilações ou para ter ganhos com valorização delas.

3. ETFs

Os ETFs (exchange traded funds) ou fundos de índice tem como objetivo replicar determinado índice de referência — seja de renda fixa ou variável. Para tanto, ele espelha a carteira teórica de ativos do indicador econômico escolhido.

Se o objetivo é uma opção atrelada a uma moeda internacional, você deve pesquisar ETFs que replicam índices relacionados a ela. Por exemplo, aqueles fundos que espelham indicadores de uma bolsa internacional

Em relação ao dólar, uma possibilidade são os fundos que replicam o S&P500. Ele é o principal indicador do mercado dos Estados Unidos, reunindo ações das 500 empresas mais negociadas na NYSE e na NASDAQ.

4. BDRs

Os BDRs são os brazilian depositary receipts, ou certificados de depósitos brasileiros. Eles são uma forma de se expor a ativos do exterior. É possível acessar ações de empresas de outros países ou, até mesmo, companhias brasileiras que fizeram a abertura de capital no exterior.

Porém, apesar de existir muita associação dos BDRs com ações, é importante saber que eles podem estar atrelados a outros investimentos. Alguns exemplos comuns são os ETFs e títulos de dívidas internacionais.

Logo, é possível ter ganho com o investimento e também com a variação do câmbio. Aqui, é preciso frisar que você não investe diretamente nos ativos internacionais, mas em certificados atrelados a eles. Eles são negociados na B3, sem a necessidade de ter contas no exterior e converter a moeda.  

5. COE

O COE é o certificado de operações estruturadas, que é um investimento que combina diferentes características de renda fixa e variável. Assim, é possível que ele tenha opções atreladas às moedas estrangeiras em sua composição.

Eles são montados por uma instituição financeira e disponibilizados aos seus clientes. Um dos benefícios é que ele pode ser desenvolvido com combinações que também auxiliem no manejo de riscos. Assim, vale conhecer as opções e ver se elas se adéquam aos seus objetivos.

6. Operações no mercado futuro

Por fim, existem operações que não são um investimento em si, mas podem oferecer proteção diante do dólar e euro. É o caso do mercado futuro, no qual são negociados contratos derivativos atrelados às moedas. 

Eles são utilizados como forma de proteção contra as oscilações ou de especulação para lucro no curto prazo. Apesar de não ser um investimento, a alternativa pode fazer sentido para a sua carteira, dependendo do perfil e objetivos. 

Como você percebeu neste conteúdo, existem diferentes alternativas para quem deseja investir em opções atreladas ao dólar e ao euro. Entretanto, é preciso avaliar as características de cada uma para definir se elas fazem sentido para o seu portfólio!

Ainda tem dúvidas sobre como investir? Entre em contato conosco e veja como podemos ajudar na diversificação da sua carteira! 

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *