O que são e como funcionam os fundos de investimentos imobiliários?

O que são e como funcionam os fundos de investimentos imobiliários?

Muitos brasileiros se interessam por investir no mercado imobiliário. Uma boa notícia sobre o assunto é que a compra direta de imóveis não é a única alternativa. Também é possível obter lucro no setor sem enfrentar grande burocracia ou custos.

Afinal, adquirir um imóvel custa caro e envolve documentação específica, além dos custos de manutenção. Já a compra das cotas de fundos de investimentos imobiliários (FIIs) pode ser feita online, de forma prática e com custos bem menores.

Além disso, você conta com um profissional especializado para gerir os imóveis ou títulos imobiliários do portfólio do fundo. Que tal saber mais sobre esta oportunidade?

O que são os fundos de investimentos imobiliários?

Antes de entender os FIIs, é importante conhecer o conceito de fundo de investimento. No mercado financeiro, existe a opção de investir em ativos de forma autônoma — como adquirir um título público ou comprar ações na bolsa.

E existe também uma modalidade coletiva — que são os fundos de investimentos. Eles consistem, basicamente, em uma organização de condomínio, na qual vários cotistas participam dos resultados de um portfólio montado pela equipe de gestão.

Assim, quem adquire as cotas de um fundo ganha o direito de participar dos lucros conquistados pela carteira. Os fundos de investimentos podem ser de diversos tipos, diferenciados especialmente pelo foco do portfólio.

Há, por exemplo, fundos de renda fixa ou fundos de ações. Logo, os fundos de investimentos imobiliários são um tipo que, como o nome indica, foca seu portfólio em ativos do mercado de imóveis.

Os FIIs podem ter investimentos em imóveis físicos, realizando a compra, venda ou aluguel deles, mas estas não são as únicas opções. Eles podem investir, ainda, em títulos de renda fixa ligados ao setor imobiliário e também em cotas de outros FIIs.

Como os fundos imobiliários funcionam?

Cada fundo de investimento imobiliário tem a própria estratégia. As informações básicas sobre ele devem constar no regulamento do fundo. Dessa forma, o investidor consegue avaliar as particularidades antes de investir.

Um aspecto relevante ao conhecer fundos de investimentos imobiliários está relacionado aos custos desta modalidade. Como envolve o trabalho de uma gestão profissional para fazer as escolhas de investimentos e administrar os ativos, é preciso pagar por ele.

A remuneração do gestor é feita pela chamada taxa de administração, que pode variar para cada FII e deve estar descrita no regulamento. Todo cotista paga um valor proporcional às cotas que adquiriu. É possível que exista também uma taxa de performance — paga quando o fundo consegue resultados acima do seu benchmark.

Ainda em relação aos custos, você provavelmente gostará de saber que o lucro recebido na forma de renda passiva dos FIIs é isento de Imposto de Renda para pessoas físicas. O IR só incidirá no caso de lucro na venda das cotas.

As cotas são negociadas na bolsa de valores. Então, outros custos possíveis são os operacionais. Por exemplo, taxa de corretagem para realização da ordem de compra ou venda e taxa de custódia. A cobrança depende da corretora de valores utilizada.

Quais são os tipos de FIIs disponíveis?

Uma das informações importantes que você precisa checar sobre um FII antes de investir é o seu tipo. Afinal, os ganhos obtidos pelo fundo de investimento imobiliário dependem bastante da forma como acontecem as escolhas dos ativos.

Como você viu, eles podem dar preferência por investir em imóveis físicos, em títulos de renda fixa ou em cotas de outros fundos. Então, são três tipos principais: fundos de tijolos, fundos de papel e fundos de fundos.

Além disso, o portfólio pode ser diversificado em cada opção. Fundos de tijolos, por exemplo, podem focar na compra e venda de imóveis, na construção deles ou na administração de aluguéis. Os imóveis também podem ser diferentes, como:

Este é, inclusive, um dos tipos de FIIs mais buscados por investidores que desejam investir em fundos imobiliários com foco em renda passiva.

Para quem o investimento pode ser adequado?

Os FIIs são investimentos da renda variável. Logo, os perfis de investidor que podem investir neles são o moderado e o agressivo. Estes perfis geralmente têm uma relação mais aberta aos riscos da bolsa de valores.

É preciso, portanto, considerar os riscos ao investir. Fundos de investimentos imobiliários estão expostos tanto aos riscos do setor de imóveis quanto à volatilidade da bolsa. Então, o investidor pode ver suas cotas se desvalorizarem por movimentos do mercado.

Por isso, talvez não sejam uma opção adequada para pessoas conservadoras, que prezam muito por deixar seu dinheiro em segurança. Contudo, os riscos dos FIIs estão ao lado também de oportunidades vantajosas de investimentos.

Uma das vantagens é a possibilidade de ter uma renda passiva frequente. Em geral, os fundos imobiliários distribuem boa parte dos seus lucros – e fazem isso mensalmente. Assim, quem busca renda de dividendos costuma se interessar por eles.

Outro ponto positivo dos FIIs é a diversificação. Com as cotas de um mesmo fundo você pode investir em imóveis e ativos diferentes – diversificando sua rentabilidade e seus riscos em um portfólio amplo.

Além disso, os ganhos no mercado de imóveis podem ser acima da média quando comparados com outros investimentos – como os de renda fixa. E, comparados com as ações na renda variável, eles apresentam menor volatilidade – e podem ser menos arriscados do que elas.

Como investir em fundos de investimentos imobiliários?

Se você considerar que os FIIs são interessantes para a sua carteira, vale a pena aprender a escolher os melhores fundos de investimentos imobiliários. A tarefa central para escolher bem é analisar as opções com atenção.

Pesquise sobre os fundos que lhe interessam, confira o regulamento deles e analise as características relacionadas à gestão, ao portfólio e ao histórico de lucro. Considere também contar com a ajuda de um assessor de investimentos para entender mais sobre eles.

Investir em FIIs é bastante simples. Basta acessar o home broker da sua corretora e digitar o ticker do fundo — geralmente, eles são registrados por um código de quatro letras seguidas do número 11.

Ao encontrar o que deseja, é possível conferir o preço de compra dele e emitir uma ordem para adquirir as cotas. Quando a negociação for completada, você se torna cotista e pode participar dos resultados obtidos pelo fundo.

E então, o que achou dos fundos de investimentos imobiliários? Não deixe de considerar as informações que viu neste post para ponderar as vantagens e os riscos desta modalidade. E, antes de incluí-los na carteira, certifique-se de identificar as melhores opções de acordo com seu perfil e objetivos.

Quer ajuda para encontrar as melhores oportunidades na hora de investir? Entre em contato com a Zahl e saiba potencializar seus resultados com informação e orientação de qualidade!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *