Fundo Exclusivo: você sabe como funciona?

Fundo Exclusivo: você sabe como funciona?

Existem diversas opções de investimentos disponíveis no mercado financeiro. Entre renda fixa e renda variável, os investidores podem acessar uma vasta gama de alternativas. Por exemplo, como Títulos Públicos, Ações e Fundos de Investimento — entre eles, o Fundo Exclusivo.

Essa modalidade de fundo é buscada por investidores com alta renda. Isso porque eles tendem a procurar opções que permitam uma alocação de recursos personalizada. Além disso, têm interesse pela visão de profissionais e por uma gestão de riscos mais controlada.

Se você ainda não conhece detalhes sobre o Fundo Exclusivo, prossiga com a leitura deste post!

O que é e como funciona um fundo exclusivo? 

Ao falar sobre um Fundo de Investimento, é possível pensar em uma espécie de condomínio. Ou seja, que pessoas se reúnem para investir com um objetivo em comum, sendo geridos por um profissional. Nesse sentido, pode ser contraditório falar sobre fundos exclusivos.

Contudo, uma vez que eles costumam contemplar mega investidores, passam a fazer sentido. Afinal, são pessoas que aportam alto capital. Trata-se de investidores que, sozinhos ou em grupos pequenos, conseguem ofertar o dinheiro necessário para o investimento em um fundo.

Em geral, estamos falando de algo em torno de 10 milhões de reais. Os investidores com tal perfil também costumam estar dispostos a cumprir os prazos de vencimento do fundo — que normalmente ultrapassam os 10 anos.

Desse modo, é possível definir um fundo exclusivo como um veículo de investimento estruturado para atender um ou poucos investidores. Ao contar com ele, os envolvidos passam a ter um CNPJ próprio. Assim, operam como empresas no mercado financeiro.

As consequências são algumas vantagens, como acessar uma gama maior de produtos de investimento. Além de, claro, o benefício tradicional dos fundos: a expertise de um gestor profissional experiente.

Qual a estrutura do Fundo Exclusivo?

Após saber o que é o Fundo Exclusivo, é interessante conhecer sua estrutura e os prestadores de serviços financeiros envolvidos nela.

Confira quais são eles!

Administrador

O administrador representa o fundo exclusivo perante as autoridades financeiras — como o Banco Central e a CVM (Comissão de Valores Mobiliários). Dessa maneira, ele organiza o funcionamento básico para lançamento do fundo e determina também o preço das cotas.

Gestora de recursos

A instituição gestora de recursos — e o profissional no cargo de gestor — ampara a tomada de decisão do fundo. Assim, ele aloca os recursos segundo a estratégia adotada. Quando se trata de um Fundo Exclusivo, há maior proximidade da gestão e dos investidores.

Dessa maneira, as escolhas feitas para o portfólio tendem a ser mais alinhadas ao seu perfil de investidor e objetivos. Mas a atuação da gestora é independente e costuma contar com uma estrutura interna — comumente chamada de Wealth Management (Gestão de Riquezas). 

Custodiante

Todo fundo precisa ter uma instituição custodiante. A missão dela é fundamental: garantir que os ativos investidos estejam seguros.

Auditor Independente

Conforme o nome indica, esse profissional audita as operações do fundo. Isso inclui as taxas envolvidas nele, o custo, o preço das cotas, as decisões realizadas etc.

A presença de cada instituição ou profissional é importante para manter o funcionamento do fundo. Afinal, ele gere recursos de outras pessoas. Assim, precisa de monitoramento e acompanhamento para seguir as regras brasileiras e garantir segurança legal.

Quais as vantagens e desvantagens do Fundo Exclusivo?

Em um primeiro momento, é fácil perceber os benefícios de um fundo exclusivo. Eles incluem:

  • gestão profissional e personalizada, que atende às particularidades de cada investidor, como objetivos e perfis;
  • estrutura operacional simplificada, pois costumam ter apenas um valor por cota e, assim, permitem o acompanhamento facilitado da rentabilidade do fundo;
  • benefícios na tributação, já que permite a movimentação de recursos internamente sem a incidência do Imposto de Renda. Em fundos fechados, os resgates também são isentos (só há IR no fechamento do fundo).
  • facilidade no planejamento sucessório, visto que ampara a organização do patrimônio e a divisão de bens de forma mais simples entre os herdeiros pela doação de cotas do fundo.

Contudo, também é preciso saber que podem existir desvantagens. São elas:

  • alto custo, justificado pelo grande trabalho dedicado ao fundo. Além da contratação de todos os funcionários citados, há, ainda, o pagamento de taxas para a Anbima e a CVM e as taxas de performance e administração;
  • pagamento de Imposto de Renda, já que alguns investimentos são isentos para pessoas físicas. 

Qual é a diferença entre Fundo Exclusivo aberto e fechado?

Os Fundos Exclusivos podem ser abertos ou fechados. No primeiro caso, são aqueles nos quais os aportes e resgates podem ser realizados livremente. Já os fechados permitem apenas resgates pré-programados e um número limitado de aportes por ano.

Além dessas diferenças, pode-se dizer que os fundos fechados apresentam mais benefícios fiscais. Isso porque são isentos de imposto come-cotas. Ele diz respeito à antecipação do IR semestral — calculado sobre os rendimentos produzidos.

Por outro lado, os fundos abertos tendem a ter maior liquidez, pois ofertam movimentações ilimitadas. Levando esses pontos em consideração, percebe-se que a escolha pelo fundo exclusivo fechado ou aberto depende das demandas de cada investidor.  

Quando vale a pena fazer um Fundo Exclusivo?

Agora que você entende o que é o Fundo Exclusivo, por saber se é vantajoso para o seu caso. Em geral, investidores que possuem um montante acima de 10 milhões de reais podem se interessar pelo fundo exclusivo. 

No caso de fortunas menores, é possível entrar em um fundo com outras pessoas. Mas para saber se a modalidade de investimento é ou não ideal para você, é preciso considerar alguns fatores. Por exemplo, o seu perfil de investidor e seus objetivos.

Depois, é necessário tomar as decisões centrais. Como definir se você contará com um fundo aberto ou fechado. Além disso, analise as condições do fundo e o impacto dos custos. A avaliação envolve, por exemplo, a rentabilidade potencial e o período de investimento.

Sabendo disso, antes de tomar sua decisão, que tal consultar uma assessoria de investimentos? Ela conta com profissionais capazes de ajudar você a identificar se o fundo exclusivo é ou não ideal em seu caso. Será possível ter aconselhamento personalizado.

Caso queira conhecer um dos maiores e melhores escritórios credenciados à XP Investimentos, entre agora mesmo em contato com a Zahl Investimentos e veja o que podemos oferecer a você!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *