Fundos de crédito privado: o que são?

Fundos de crédito privado: o que são?

Existem investidores que preferem evitar a volatilidade da renda variável, e, por isso, buscam alternativas na renda fixa. No entanto, em um cenário de taxa Selic baixa, a rentabilidade desses investimentos pode reduzir, perdendo parte da atratividade.

Por isso, os fundos de crédito privado surgem como uma alternativa para quem busca potenciais de rentabilidade maiores. Mas é importante entender como esse investimento funciona e ter em mente suas vantagens e riscos.

Quer saber mais? Continue lendo e conheça o que são os fundos de crédito privado!

O que é crédito privado?

Primeiramente, é importante que você entenda o que é crédito privado. Podemos compreender como uma espécie de empréstimo que um investidor faz a uma empresa para ajudá-la a financiar suas operações. 

Isso é feito a partir da emissão de títulos de dívida por parte da companhia, os quais são conhecidos como títulos privados. Estes se contrastam com os títulos públicos que o Governo Federal emite para financiar sua dívida. 

Os principais tipos de títulos privados são:

  • notas promissórias;
  • debêntures;
  • CRI e CRA (Certificado de Recebível Imobiliário e do Agronegócio) — títulos criados a partir da estruturação de recebíveis dos setores imobiliário e do agronegócio.

Eles são investimentos de renda fixa, uma vez que sua rentabilidade é acordada no momento da contratação. Os juros podem ser prefixados ou pós-fixados. Neste último caso, geralmente se usa indicadores como o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Ainda que tenha a segurança da renda fixa, é preciso considerar o risco de crédito. Para avaliar esse fator, vale a pena verificar qual é a nota do emissor em agências de rating. Desse modo, é possível compreender a capacidade da companhia de arcar com os seus compromissos financeiros.

O que são os fundos de crédito privado?

Os fundos de crédito privado são fundos de investimento que alocam a maior parte dos recursos em títulos de crédito privado, como os que você conheceu. Alguns fundos são de renda fixa, dependendo da porcentagem de títulos de renda fixa na carteira. 

Outros são do tipo multimercado, podendo alocar recursos em investimentos de renda variável. Em ambos os casos, os fundos funcionam de modo semelhante: há um gestor responsável pelos investimentos, e cotistas que se expõem aos resultados obtidos por ele.

Quais são as vantagens dos fundos de crédito privado?

Uma das vantagens dos fundos de crédito privado é o foco em aplicações de renda fixa. Essa característica é interessante para pessoas que preferem não expor seus recursos à volatilidade da bolsa de valores, por exemplo.

Além disso, os fundos de crédito privado oferecem uma rentabilidade um pouco maior que os títulos de renda fixa. Como já vimos, isso é positivo para pessoas que buscam rentabilidades mais atrativas diante do cenário de juros baixos.

Outra vantagem dos fundos é o acesso indireto a CRIs e CRAs. Isso porque muitos desses títulos estão acessíveis apenas para investidores qualificados. Ou seja, profissionais certificados do mercado financeiro ou quem atesta ter pelo menos R$1 milhão investidos.

A diversificação da carteira é mais um benefício. Visto que um fundo pode conter diversos títulos, o risco é diluído. Vale destacar também a liquidez. As aplicações geralmente não têm uma boa liquidez, já as cotas de fundos podem ser negociadas com maior facilidade.

Por fim, os fundos têm um gestor profissional cuidando da alocação de ativos. Desse modo, o portfólio pode ser administrado de maneira profissional e estratégica. Esse é um fator positivo, já que muitas pessoas não sabem como elaborar e executar uma estratégia de investimentos eficaz.

Alguns investidores possuem um bom conhecimento do mercado financeiro, mas talvez não tenham tempo para avaliar opções e realizar investimentos. Para elas, confiar essa atividade a um gestor experiente pode ser uma boa alternativa.

Quais são os riscos e desvantagens dos fundos de crédito privado?

Ainda que apresente vantagens, é preciso ficar atento aos riscos. Um deles é o de crédito. Afinal, seus ganhos dependem de a empresa honrar com o pagamento da dívida. 

Logo, o investidor se expõe à capacidade da companhia de manter seus compromissos. Caso o calote ocorra nos títulos que compõem a carteira de um fundo, isso pode afetar a rentabilidade da cota. 

Existe, ainda, o risco de mercado. Uma empresa pode ter uma boa classificação do ponto de vista das agências de rating, mas passar por eventos específicos que afetem suas finanças.

Em relação a possíveis desvantagens, vale destacar que os fundos de investimento têm taxas de administração e, às vezes, de performance. Elas servem para remunerar a gestão. É preciso ficar atento ao escolher um fundo para evitar o pagamento de taxas muito altas.

Ademais, os fundos de crédito privado estão sujeitos ao come cotas. Trata-se de um formato de antecipação da cobrança de Imposto de Renda que se reflete na redução de cotas que o investidor possui. O come cotas ocorre no último dia útil dos meses de maio e novembro.

Como escolher um fundo de crédito privado?

O primeiro passo para fazer uma boa escolha é saber qual é o seu perfil de investidor — que pode ser conservador, moderado ou arrojado. Isso o ajudará a entender qual é o nível de risco que você tem a disposição de correr.

Na hora de avaliar fundos, verifique como é a concentração da carteira. Se boa parte dela estiver alocada em uma ou poucas empresas, isso pode indicar maior risco. Tenha em mente que, quanto mais pulverizados forem os investimentos do fundo, mais diluído será o risco.

Analise também o rating dos emissores dos títulos. Você pode, inclusive, analisar os indicadores fundamentalistas das empresas. Assim, é possível ter uma compreensão da capacidade delas de pagar corretamente as dívidas.

Além disso, certifique-se de qual é o prazo de carência do fundo, pois ele deve estar alinhado aos seus objetivos. Em alguns casos, para você fazer o resgate, pode ser preciso aguardar determinado prazo. Por fim, não deixe de analisar as taxas.

Como vimos, os fundos de crédito privado podem valer a pena para quem busca investimentos com um retorno superior à taxa Selic. Mas é preciso saber que eles apresentam alguns riscos. Por isso, considere seu perfil de investidor e seus objetivos para tomar uma decisão adequada.

Quer saber mais sobre fundos de crédito privado e outros tipos de fundos? Entre em contato conosco e tire suas dúvidas!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *