A rentabilidade da sua previdência está satisfatória ou você está perdendo dinheiro?

A rentabilidade da sua previdência está satisfatória ou você está perdendo dinheiro?

A busca por aplicações do tipo previdência privada vem crescendo com o passar do tempo. Cada vez mais investidores estão interessados em garantir uma aposentadoria mais confortável e com isso, surge a necessidade de entender mais as vantagens e como esse produto pode ser útil em um portfólio de investimentos.

A previdência privada é uma aplicação com caráter de longo prazo disponibilizada para pessoas físicas. Seu principal intuito é ser um complemento à previdência pública recebida via Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Mas apesar de estar diretamente associada a aposentadoria, ela pode ser uma modalidade de investimento versátil.

No mercado, existem dois tipos de planos abertos de previdência privada: PGBL (Plano Gerador de Benefícios Livre) e o VGBL (Vida Gerador de Benefícios Livre).

  • PGBL: é indicado para quem faz declaração de imposto de renda no modelo completo, pois possibilita a redução da base de cálculo para o pagamento de imposto em relação aos valores aplicados no plano de previdência privada até o limite de 12% da renda bruta. Na prática, o investidor poderá pagar um valor de IR menor ao passar dos anos. Entretanto, no momento de resgatar os recursos do plano de previdência, o IR incidirá sobre o valor total (o principal das contribuições mais os rendimentos).
  • VGBL: é indicado para pessoas que declaram o IR via formulário simples, ou que possuem uma renda variável, como profissionais autônomos, já que essa modalidade não permite a redução da base de cálculo. A principal vantagem aqui é que no resgate, o IR incide apenas sobre os rendimentos – e não sobre o valor principal das contribuições.

Mas além dessas informações sobre as modalidades dos planos ofertados, o que você precisa ficar atento é em relação a rentabilidade da sua previdência. Afinal, você pode estar perdendo dinheiro considerando o retorno de alguns fundos de previdência do país. Vamos a alguns dados!

  • 96% do patrimônio aplicado no Brasil em fundos de previdência de renda fixa rendem abaixo de 100% do CDI há mais de 10 anos. E pelo menos R$ 600 bilhões do patrimônio estão com gestoras do Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Caixa e Santander.
  • Entre os 50 maiores fundos de previdência do Brasil, 40 deles não batem o CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

Para exemplificar melhor, confira o comparativo (rentabilidade em % do CDI) entre planos de previdência de bancos e de uma corretora:

Na prática, o que isso quer dizer? Sua previdência privada tem que render no mínimo o mesmo que o CDI, já que ele é uma referência para diversos tipos de investimentos. Investir abaixo deste indicador irá te custar muito dinheiro a longo prazo. Se você tem uma previdência, mas não entende esse conceito, provavelmente seu fundo está com uma performance ruim. O lado positivo, é que que você pode fazer a portabilidade para outro instituição de forma simples sem precisar resgatar seus investimentos.

Você pode consultar se sua previdência está rendendo acima ou abaixo do CDI pelo site www.comparacaodefundos.com.br

Mas caso você tenha alguma outra dúvida sobre o assunto ou quer entender como está a rentabilidade da sua previdência, entre em contato e converse com um de nossos especialistas no assunto!

 

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *