Selic a 2% ao ano: qual o impacto da taxa de juros nos seus investimentos?

Selic a 2% ao ano: qual o impacto da taxa de juros nos seus investimentos?

Nos últimos anos, os investimentos têm sido bastante afetados pela queda da taxa básica de juros brasileira, a Selic. No entanto, muitos investidores não entendem essa dinâmica, nem sabem o que fazer para melhorar a rentabilidade de sua carteira, se assim desejarem.

Quando a taxa Selic está em um patamar muito baixo, pode ser válido considerar alternativas de investimento que ofereçam um lucro mais atrativo. Mas, afinal, por que essa taxa é tão influente? E como ela causa impacto no mercado financeiro e nos investimentos?

Você entenderá tudo isso nos próximos tópicos. Continue a leitura deste post para compreender a influência da taxa Selic nos seus investimentos e o que fazer para melhorar a rentabilidade do seu portfólio!

O que é a taxa Selic?

A Selic também é conhecida como taxa básica de juros da economia. Seu nome deriva de Sistema Especial de Liquidação e Custódia, um sistema do Banco Central. A Selic é usada no registro das operações envolvendo os Títulos Públicos emitidos pelo Tesouro Nacional.

Além disso, a taxa praticada pelo Governo serve de base para as operações financeiras realizadas em todo o país. Isso faz com que a taxa Selic influencie diversos investimentos, principalmente na renda fixa. E é sobre isso que falaremos a seguir.

Qual é a relação entre a taxa Selic e os investimentos?

Talvez você já conheça o Tesouro Direto, um sistema que possibilita a negociação de Títulos Públicos. O Governo emite títulos e os vende para captar recursos com o objetivo de financiar a dívida pública. Em troca, o investidor recebe uma remuneração. 

No título Tesouro Selic, por exemplo, a rentabilidade é baseada na taxa Selic. Significa que, em épocas em que ela está em alta, a aplicação tem uma rentabilidade maior. Já em cenários de Selic em baixa, o Tesouro Selic tem uma rentabilidade mais baixa.

Além disso, não é só esse Título Público que está atrelado à taxa básica de juros da economia. A poupança é outro exemplo. 

Quando a Selic está igual ou menor que 8,5% ao ano, a rentabilidade é equivalente a 70% dela, mais a taxa referencial (que está zerada desde 2017). Quando a Selic está acima deste patamar, a remuneração é de 0,5% + TR.

Há, ainda, outros investimentos que estão relacionados diretamente ou indiretamente à Selic. E vale a pena conhecê-los. 

Confira!

Como a Selic impacta outros investimentos de renda fixa?

A renda fixa não apresenta possibilidades apenas entre os Títulos Públicos. Também há aplicações privadas, como os CDBs (Certificados de Depósito Bancário) e as LCIs e LCAs (Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio). 

As aplicações de renda fixa, de modo geral, podem ter rentabilidade pré fixada, pós-fixada ou híbrida. No caso de alternativas pós-fixadas, é comum que os títulos rendam de acordo com o CDI (Certificado de Depósito Interbancário), uma taxa cujo valor é próximo ao da Selic.

Assim, mesmo aplicações que não seguem as variações da Selic podem ter forma de rendimento próxima a ela. Além disso, taxas prefixadas consideram o atual cenário de juros, já que as instituições se baseiam nele para oferecer sua rentabilidade e atrair investidores.

Em relação aos híbridos, que são rendimentos que acompanham um índice mais uma taxa fixa, também há influência da Selic. Isso porque é comum que eles acompanhem a inflação — um indicador que tem relação íntima com a taxa básica de juros da economia.

Com isso, você pode perceber que o Tesouro Selic, a poupança, outras aplicações e até mesmo Fundos de Investimento de renda fixa são impactados por uma taxa Selic baixa. Assim, as possibilidades podem perder atratividade.

A relação entre Selic e bolsa de valores

Os preços das Ações e demais possibilidades da bolsa de valores não estão atrelados à taxa Selic. Eles sobem ou descem de acordo com as expectativas do mercado — o que é um dos fatores que caracterizam a renda variável.

Mas, ainda assim, podem sofrer influência da taxa de juros da economia. Por que isso acontece? O motivo está no incentivo à economia que é gerado quando a Selic cai. Com taxas de juros menores, há estímulo a empréstimos, financiamentos e consumo.

Mais pessoas podem passar a consumir e solicitar crédito aos bancos, fazendo a economia girar. Com isso, as empresas da bolsa de valores, por exemplo, podem se beneficiar do crescimento. Logo, os papéis podem se valorizar.

Além disso, há um movimento do próprio mercado de novos investidores interessados na renda variável. Afinal, com a renda fixa oferecendo juros mais baixos, muitos se sentem atraídos pelas chances de lucro acima da média da renda fixa que a bolsa pode oferecer – especialmente no longo prazo.

Viu como a Selic também impacta a bolsa de valores, ainda que de forma indireta?

O que fazer em um cenário de Selic baixa?

Depois de conhecer mais sobre a relação da Selic com os investimentos, talvez você esteja se perguntando o que fazer em um cenário de Selic baixa. É preciso deixar a renda fixa e focar na renda variável?

Nesse ponto, vale destacar que tudo depende do seu perfil de investidor e dos seus objetivos. Afinal, mesmo com rentabilidade mais baixa, a renda fixa continua apresentando características importantes. Por exemplo, segurança e alta liquidez em algumas aplicações.

Assim, é preciso considerar o que você busca na hora de entender como investir com a Selic em baixa. Investimentos na bolsa de valores são mais adequados para perfis moderados ou arrojados. Além disso, é sempre interessante manter parte do patrimônio em segurança.

Se você não quer entrar na renda variável ou está procurando alternativas com maior rentabilidade na própria renda fixa, existem opções. Alguns investimentos oferecem rentabilidades superiores à taxa básica de juros.

Um exemplo são títulos com prazos de carência mais longos e baixa liquidez. O mesmo ocorre com aplicações de instituições menores, que envolvem maior risco. Há, ainda, títulos de crédito privado, como as Debêntures, que podem oferecer um retorno superior em alguns casos.

Agora você sabe que a taxa de juros Selic tem um papel fundamental nas operações financeiras em nosso país. Mas, ao buscar investimentos, lembre-se de que ela não é o único fator a ser considerado. Pense no seu perfil e objetivos para montar uma carteira sólida e diversificada!

Para fazer boas escolhas de investimento, é preciso contar com informações confiáveis, certo? Entre em contato com a Zahl e descubra como podemos ajudar você!

Selic a 2% ao ano: qual o impacto da taxa de juros nos seus investimentos?
Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *