Small Caps: como investir nas menores empresas da bolsa?

Small Caps: como investir nas menores empresas da bolsa?

Quem deseja investir no mercado de Ações precisa aprender sobre os diferentes tipos de ativos e as suas características. Por exemplo, você sabe o que são as Small Caps e como investir nas menores empresas da bolsa? 

Nem sempre elas são visadas pelos investidores, mas podem trazer oportunidades interessantes. Contudo, para avaliar se os papéis fazem sentido para a sua carteira é necessário entender como eles funcionam. 

Neste conteúdo você verá o conceito de Small Caps e saberá como investir nelas. Acompanhe!

O que é uma Small Cap?

O termo Small Cap se refere às companhias de menor porte na bolsa de valores, com valor de mercado (capitalização) mais baixo. Geralmente, essas empresas são novas ou fazem parte de setores menores da economia. 

Não há um limite definido para o conceito. Mas, de maneira geral, são assim consideradas as companhias com valor de mercado avaliado, em média, entre R$ 1 bilhão e R$ 10 bilhões. Elas se diferenciam das companhias maiores e mais conhecidas.

Por isso, muitas vezes os investidores não buscam essa opção — o que faz com que as Ações dos negócios menores tenham liquidez mais baixa. No entanto, as Small Caps podem ter um potencial de crescimento e valorização maior. Afinal, não estão consolidadas no mercado ainda.

Quais são as suas principais características?

As Small Caps contam com algumas características específicas que devem ser avaliadas pelo investidor. Para facilitar, listamos os principais pontos:

  • possibilidade de valorização: há chances de conseguir uma boa valorização em médio ou longo prazo por causa do potencial de crescimento;
  • preço da Ação: por serem de uma empresa menor, os papéis costumam ter um valor mais acessível. Porém, é preciso avaliar outras questões para definir se a precificação é justa;
  • liquidez: por não terem grande procura, o volume de negociação pode ser baixo, dificultando a venda do ativo;
  • volatilidade: as Small Caps geralmente sofrem mais oscilações no mercado e podem sentir maiores impactos nas crises;
  • riscos: apesar do maior potencial de rendimento, há também maiores riscos — especialmente porque não é possível ter a certeza do crescimento do negócio.

O que é o índice Small Caps?

Você já ouviu falar no índice Small Caps (SMLL)? Quando o assunto é Ações Small Caps, é fundamental conhecer este índice da bolsa.

Ele é composto por uma carteira teórica de Ações da bolsa de valores, considerando as empresas de baixa capitalização. Portanto, o seu resultado demonstra o desempenho médio dessas companhias e pode servir como benchmark para uma carteira focada em Small Caps.

A composição do índice não é permanente: a carteira teórica é reavaliada a cada 4 meses. Vale destacar que não fazem parte do índice companhias que estejam em processo de recuperação judicial ou extrajudicial. 

Também são excluídos os ativos referentes a:

  • Brazilian Depositary Receipts (BDRs);
  • empresas em regime especial de administração temporária;
  • empresas em intervenção;
  • companhias em outras situações especiais de listagem.

A composição do SMLL é divulgada pelo site da B3. A tabela indica as Ações, o tipo, a quantidade teórica e a sua participação na formulação do índice

Em 2020, alguns exemplos entre as principais Small Caps da bolsa brasileira eram: 

  • ABC Brasil (ABCB4);
  • Aliansce Sonae (ALSO3);
  • Alupar (ALUP11);
  • Azul (AZUL4);
  • Banco Inter (BIDI11);
  • Embraer (EBRr);
  • Fleury (FLRY3);
  • Linx (LINX3);
  • PetroRio (PRIO3);
  • Qualicorp (QUAL3).

Além disso, existem empresas bastante conhecidas que costumam compor o índice, mesmo em participações menores. As Lojas Marisa, a CVC, a OdontoPrev e a Vivara, por exemplo, se destacaram em 2020.

Como investir em Small Caps?

Agora você já sabe o que são Small Caps e conhece o principal índice relacionado a essas empresas. Mas como investir em Ações desse tipo?

A maneira mais conhecida de investir em Small Caps é comprando diretamente as Ações que lhe interessam. Para tanto, existem algumas dicas que podem ajudar na decisão:

Considere seu perfil e objetivos

Essa é a orientação essencial sempre que se trata de investimentos. Você deve considerar o seu perfil e tolerância a riscos para identificar se vale a pena investir em Small Caps. Diante disso, também é preciso determinar quanto será investido.

Vale ressaltar que os ativos apresentam risco e não é possível prever com certeza o seu comportamento. Assim, são mais indicados para investidores moderados e arrojados. Um melhor manejo de risco envolve, ainda, considerar o investimento para o longo prazo. 

Faça uma análise fundamentalista

A análise fundamentalista é essencial para os investimentos em longo prazo. Ela avalia os fundamentos das empresas — como saúde financeira, características econômicas, qualidade da gestão etc. Com base nisso, você identifica o potencial de crescimento e desenvolvimento dela.

Se o seu foco não for investimento, mas sim especulação, será usada outra ferramenta: a análise técnica ou gráfica. Nesse caso, o objetivo é identificar os próximos movimentos, como altas e baixas, para definir os momentos de compra e venda. Mas os riscos da operação são bem maiores.

Escolha os ativos para a sua carteira

Após avaliar as opções de acordo com seu perfil e objetivos, você pode fazer a escolha dos ativos que vão compor a carteira. A aquisição deve ser feita por meio de uma corretora de investimentos. Portanto, abra uma conta em uma corretora de confiança para fazer os seus aportes.

Quais são as outras formas de investimento?

Se você não tem segurança ou não quer dedicar tanto tempo para analisar e escolher seus ativos, existem alternativas. É possível investir em Small Caps sem decidir sozinho quais serão as Ações selecionadas.

Veja quais são as opções!

Investir em ETF

Anteriormente, você descobriu o que é o índice SMLL. Ele representa uma carteira de Ações, mas não é propriamente um investimento. No entanto, é possível contar com uma modalidade de investimento que replica o índice.

São os Exchange Traded Funds (ETF) ou Fundos de Índice. Eles consistem basicamente em montar uma carteira que espelha determinado indicador. Logo, o investidor pode buscar ETFs que espelham o SMLL da B3 — como o SMAL11 ou o SMAC11.

Investir em carteiras recomendadas

Outra opção para não escolher por conta própria é buscar carteiras recomendadas. Elas são criadas por profissionais certificados que fazem análises do mercado. Assim, é possível encontrar alternativas baseadas em Small Caps.

De qualquer modo, sempre avalie as recomendações com cuidado e estude o mercado para tomar as melhores decisões para o seu portfólio. E não se esqueça da diversificação da carteira para fazer o manejo de riscos e potencializar o seu rendimento.

Conseguiu entender como investir nas menores empresas da bolsa? Conhecer o conceito de Small Caps é o ponto de partida para fazer isso. 

Se você quer ampliar as oportunidades no mercado de Ações e conhecer todas as alternativas disponíveis, considere contar com uma assessoria de investimentos para tirar suas dúvidas!

Precisa de ajuda para começar a investir em Small Caps? Entre em contato com a Zahl e converse com nosso time!

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *